Viajou do Brasil ao Canadá de carona, aos 21 anos e trabalhou nos escritórios da TV Globo em Nova Iorque e em Londres, quando teve a oportunidade de visitar a Rússia e o Oriente Médio. Ama matemática e música, para ele a maior forma de arte. Gosta de Bach, Beethoven e Schubert, entre outros. Levaria para um ilha deserta as "Variações Golberg" (Interpretadas por Rosalyn Tureck, em 1988), "Crime e castigo" e as pinturas de Giorgio Morandi, se possível. Beto gosta de fazer coleções: De vinhos (os Pinot Noir que ele consegue comprar), de CDs, de DVDs. E de crianças (ele e Carla sua mulher, têm trigêmeas). Gosta também de colecionar comerciais, estima que tenha uns 80.000 filmes catalogados e duvida que alguém no mundo possua uma coleção maior. Beto odeia foto de diretor segurando o queixo em site de produtora.
Foi 6 vezes finalista em Cannes e vencedor de um Leão de Bronze no Festival de Cannes de 2011 com o filme "Quarto", de Embratel, para AlmapBBDO. Foi escolhido um dos diretores da America Latina na Shots 114 e um dos três melhores diretores do Brasil no El Ojo de Iberoamérica 2008.